Piadas e ofensas contra colegas acima do peso pode configurar assédio moral

Muitos trabalhadores que estão acima do peso acabam se tornando-se motivo de zombaria para superiores ou demais colegas de trabalho.

Não se trata somente de uma ameaça ou de uma agressão verbal, mas sim de uma conduta repetitiva e persistente por parte do assediador. A intenção é prejudicar diretamente o colega e causar constrangimento. Nascem, então, os mais variados apelidos. Essas práticas de menosprezo passaram a ser caracterizadas como bullying.

De acordo com o presidente do Sintracia, Cirso da Silva, o trabalhador pode identificar o bullying a partir do padrão das agressões. A prática acontece de forma intencional e repetitiva, sempre com o objetivo de humilhar. Geralmente, os agressores escolhem fazer isso diante de outras pessoas, para que tenham uma plateia que legitime as “piadas”.

“Pode ser difícil identificar o problema porque as ofensas são disfarçadas de brincadeiras. A situação é ainda mais delicada quando há um superior envolvido, porque o trabalhador fica com medo de reclamar e se indispor com os gestores. Se o quadro é constante e causa sofrimento emocional ou psicológico, pode ser configurado assédio e deve ser denunciado com a máxima urgência”, explica o presidente do Sintracia, Cirso da Silva.

Preconceito

Estar acima do peso significa, muitas vezes, ser visto com maus olhos pela sociedade. Em algumas situações, os funcionários sentem esse preconceito na pele. Principalmente, quando passam a ser tratados de maneira “diferenciada” pelos chefes.

Caso o trabalhador se sinta constrangido ou humilhado na empresa em que trabalha, pode denunciar o caso para a assessoria jurídica do Sindicato.

Causas

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde revelam o aumento da obesidade no Brasil. Uma em cada cinco pessoas no país está acima do peso. A prevalência da doença passou de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016.

A principal causa da obesidade é o desequilíbrio entre as calorias ingeridas e as calorias queimadas. Porém, doenças como hipotireoidismo, síndrome de Cushing e depressão, também são fatores de risco para o desenvolvimento do problema.

Fonte: Sintracia

Desenvolvido por ABRIDOR DE LATAS COMUNICAÇÃO SINDICAL